quinta-feira, março 29, 2007

Confiar







É um tema recorrente no meu pensamento. Confiar é complicado, não é...? Mas o curioso acerca de confiar é que é uma daquelas coisas que só sabemos que funciona, depois de o fazer. Como Josafá fez, por exemplo...


"II Crónicas 20

1 E sucedeu que, depois disso, os filhos de Moabe, e os filhos de Amom, e, com eles, alguns outros dos amonitas vieram à peleja contra Josafá.
2 Então, vieram alguns que deram aviso a Josafá, dizendo: Vem contra ti uma grande multidão dalém do mar e da Síria; e eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi.
3 Então, Josafá temeu e pôs-se a buscar o SENHOR; e apregoou jejum em todo o Judá.

12 Ah! Deus nosso[...] em nós não há força perante esta grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que faremos; porém os nossos olhos estão postos em ti.

21 E aconselhou-se com o povo e ordenou cantores para o SENHOR, que louvassem a majestade santa, saindo diante dos armados e dizendo: Louvai o SENHOR, porque a sua benignidade dura para sempre.
22 E, ao tempo em que começaram com júbilo e louvor, o SENHOR pôs emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os das montanhas de Seir, que vieram contra Judá e foram desbaratados.
23 Porque os filhos de Amom e de Moabe se levantaram contra os moradores das monhanhas de Seir, para os destruir e exterminar; e, acabando eles com os moradores de Seir, ajudaram uns aos outros a destruir-se.
24 Entretanto, chegou Judá à atalaia do deserto; e olharam para a multidão, e eis que eram corpos mortos, que jaziam em terra, e nenhum escapou.
25 E vieram Josafá e o seu povo para saquear os despojos e acharam neles fazenda e cadáveres em abundância, como também objetos preciosos; e tomaram para si tanto, que não podiam levar mais; três dias saquearam o despojo, porque era muito."

Esta passagem fala-nos de Josafá, rei de Israel, que em face de uma dificuldade maior do que ele, temeu e buscou ao SENHOR. Em vez de confiar na sua própria força, buscou a força de Deus. Os versos 22 e 23 descrevem como Deus trouxe livramento ao Seu povo. Alguém poderá dizer que foi coincidência, afinal nada de sobrenatural houve: os inimigos de Israel destruíram-se uns aos outros. Sim, aparentemente.

Quantas vezes nos acontece o mesmo em relação a tribulações por que passamos? Quantas vezes somos tentados a pensar que a resolução do nosso problema aparenta ter sido uma situação completamente plausível e passível de acontecer sem intervenção divina? Mas a verdade é que temos livramento quando tantos outros não o têm.

"Salmo 20:7,8

7 Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do SENHOR nosso Deus.
8 Uns encurvam-se e caem, mas nós nos levantamos e estamos de pé. "

Esta é a verdade. Coincidência? Estranhas coincidências acontecem aos filhos do Altíssimo...

Regressando a Josafá...

O que me fascina mais neste capítulo da história de Israel, não é tanto o livramento que Deus deu, apesar de ele mesmo ser fantástico. Afinal, Israel não lutou sequer! Nem uma pedrinha atirada à testa de um qualquer Golias, nada. Vejamos o que Deus disse no verso 17.

"17 Nesta peleja, não tereis de pelejar; parai, estai em pé e vede a salvação do SENHOR para convosco, ó Judá e Jerusalém; não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR será convosco."

E assim foi. O que me fascina em absoluto é que nós somos uns palermas, mesmo. De verdade! Estamos sempre preocupados com o dia de amanhã, com o desfecho daquela situação, com como conseguiremos sair desta ou daquela situação... Quando dei com os olhos no verso 25, compreendi:

"25 E vieram Josafá e o seu povo para saquear os despojos e acharam neles fazenda e cadáveres em abundância, como também objetos preciosos; e tomaram para si tanto, que não podiam levar mais; três dias saquearam o despojo, porque era muito."

Compreendi que a medida do suprimento de Deus é muito maior que a medida da nossa necessidade. O povo de Deus, não só foi livrado da destruição, como esteve TRÊS DIAS a saquear o despojo daqueles que antes buscavam a sua destruição. Sem mexer uma palha.

Bem, meus amigos, se depois disto alguém ainda tem alguma dúvida... não sei mesmo que dizer. O que tenho experimentado até hoje, ainda que fico muitas vezes ansioso e preocupado (como um palerma), é que Deus é fiel e quem nele confia não será abalado.



"Salmo 125:1,2

1 OS que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre.
2 Assim como estão os montes à roda de Jerusalém, assim o SENHOR está em volta do seu povo desde agora e para sempre."

3 comentários:

Carla Duarte disse...

"Jesus, porém, ouvindo-o, respondeu-lhe: Não temas: crê somente, e será salva"

Lucas 8:50

Muito boa a feflexão sobre confiar!!!

Anónimo disse...

continuas crente, aleluia.

dta

dunamis

Joel Costa disse...

PAZ