quinta-feira, novembro 17, 2005

Imitações...



Recentemente percebi que repetir, imitar os outros não é bom. Aquele grupo, aquele vocalista que admiramos... não deve passar disso, pois Deus dá-nos dons para usarmos, não para imitarmos.


De tentativas recentes de reproduzir algo que ouvi ficou-me esta convicção. Não à imitação, sim à renovação.


30 / 06 / 2006

Depois de ler os comentários a este artigo e reflectir sobre eles, decidi acrescentar algo mais.

Muitas vezes tentamos imitar os outros, as suas atitudes, expressões e inevitavelmente, transpondo isto para a música, tentamos recriar o ambiente que esses músicos proporcionam.

Ora, isto é um erro imenso. Primeiro, ao fazermos isto estamos a limitar a intervenção do Espírito Santo. Se nós já decidimos de antemão como vai ser, que papel tem o Espírito Santo? É o mesmo que dizer a Deus: "Deus, já temos isto tudo ensaiado. Agora já podes usar o que preparámos para operar no povo.". Ridículo, não é? Como se a mente do Rei do universo fosse igual à nossa, para ousarmos limitar Deus àquilo que achamos melhor.

Segundo, caímos no erro imenso de pensarmos que a unção que Deus derrama sobre a vida dos seus servos pode ser imitada. Vemos aquele dirigente mover as pessoas em adoração, vemos músicos que ao tocar, tudo lhes sai bem, tudo é perfeito. Isto ultrapassa, de facto, o campo musical, acontece em todas as áreas. Começamos a pensar, demais, que era fenomenal ser assim também conosco. E depois começamos a imitar, a tentar obter para nós o que os outros têm.

Deixem que partilhe um segredo convosco, pianinho (em voz "baixa") para não escandalizar alguns... a unção de Deus NÃO PODE SER IMITADA. Ok? Há pessoal que quer fazer à força o que alguém que tem para trás toda uma vida de consagração, de dedicação, de serviço e que por isso e para isso tem sido abençoada e ungida. Não resulta pessoal, não resulta. Deus tem um plano para nós. E é um plano bem específico para cada um, não é o do outro. E é deixando que Ele cumpra o Seu plano na nossa vida que seremos abençoados e ungidos para O servir.



Jesus disse: "Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai." João 14:12

5 comentários:

Anónimo disse...

Concordo plenamente com tudo aquilo que disseste, apenas com uma pequena ressalva...
Não nos podemos basear em imitações, mas claro no seguimento daquilo que disseste, podemos sim,ter referências na musica dita cristã..
Mas claro, sem nunca nos basearmos na íntegra nos comportamentos de outrém!
Esta renovação que falas é necessária nas nossas Igrejas, sem dúvida nenhuma..
Devemos imitar isso sim, a Cristo, como o apóstolo Paulo afirmou, "..sede meus imitadores como eu sou de Cristo.." - 1Co 11:1 -

See You
Joshua

Ruben disse...

Existe aprender para imitar, e imitar para aprender. Eu prefiro a segunda. Imitando bons musicos aprendemos novas tecnicas, estilos e sonoridades que podemos usar para criarmos boa musica. Como disseste não nos podemos acomodar com o que imitamos. Assim não exsite criação e sim um simples reciclar de musica. Temos a responsabilidade (a meu ver) de desenvolver aquilo que Deus nos deu, e não somente manter.

Pedro Alves disse...

Ok, pessoal, obrigado pelos vossos comentários.

O sentido do meu artigo vai ao encontro do facto de que muitas vezes tentamos imitar os outros, as suas atitudes, expressões e inevitavelmente, transpondo isto para a música, tentamos recriar o ambiente que esses músicos proporcionam.

Ora, isto é um erro imenso. Primeiro, ao fazermos isto estamos a limitar a intervenção do Espírito Santo. Se nós já decidimos de antemão como vai ser, que papel tem o Espírito Santo? É o mesmo que dizer a Deus: "Deus, já temos isto tudo ensaiado. Agora já podes usar o que preparámos para operar no povo.". Ridículo, não é? Como se a mente do Rei do universo fosse igual à nossa, para ousarmos limitar Deus àquilo que achamos melhor.

Segundo, caímos no erro imenso de pensarmos que a unção que Deus derrama sobre a vida dos seus servos pode ser imitada. Vemos aquele dirigente mover as pessoas em adoração, vemos músicos que ao tocar, tudo lhes sai bem, tudo é perfeito. Isto ultrapassa, de facto, o campo musical, acontece em todas as áreas. Começamos a pensar, demais, que era fenomenal ser assim também conosco. E depois começamos a imitar, a tentar obter para nós o que os outros têm.

Deixem que partilhe um segredo convosco, pianinho (em voz "baixa") para não escandalizar alguns... a unção de Deus NÃO PODE SER IMITADA. Ok? Há pessoal que quer fazer à força o que alguém que tem para trás toda uma vida de consagração, de dedicação, de serviço e que por isso e para isso tem sido abençoada e ungida. Não resulta pessoal, não resulta. Deus tem um plano para nós. E é um plano beme specífico para cada um, não é o do outro. E é deixando que Ele cumpra o Seu plano na nossa vida que seremos abençoados e ungidos para servir.

Jesus disse: "Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai." João 14:12

Existe, então, razão para querermos imitar? Não me parece.

Isa disse...

É,tem razão penso que se nos preocupássemos mas em fitar os nossos olhos, as nossas ações e principalmente a nossa vida em Deus, teríamos outras pessoas não como ídolos a ser imitados, mas sim como exemplo a ser seguido.

Guilherme disse...

concordo!

Também sou músico, gostaria que desse uma olhada em

evangelhocritico.blogspot.com

Música sob perspectiva muito crítica e comparada ao cristianismo moderno....por favor, como músicos, deixem comentários!!